O impeachment é tão golpe quanto o Brasil é uma pátria educadora.

Em meio a tanta confusão política, a presidente Dilma enfrenta grandes dificuldades em implantar a “Pátria Educadora” que seria meta de seu segundo mandato. Confira!

Greve na educação já dura mais de dois meses comprometendo gravemente a educação dos nossos jovens.

por: Franklin Couto

A presidente vem amargando derrotas de suas próprias escolhas desde o primeiro dia do governo.

ENGLISH SPANISH FRENCH ITALIAN

Brasil – No dia primeiro de janeiro de 2015, a presidente Dilma fez um pronunciamento daqueles cheios de entusiasmo. Nesse pronunciamento ela dava início a seu segundo mandato e anunciava o slogan de seu “novo” governo.

O slogan chamou muito atenção e nos fez pensar um pouco sobre a capacidade que seu governo teria em dar conta de assumir essa responsabilidade.
“Brasil, uma pátria educadora” é o que diz o slogan que logo foi abafado em meio a tantos escândalos de corrupção, greves intermináveis, e manifestações por todo o país.

De fato, até agora a pátria educadora amarga uma greve de mais de dois meses, podendo chegar a seis meses de duração. Enquanto isso o governo gasta tempo e saliva repartindo exaustivamente a frase: Isso é um golpe! Isso é um golpe!

Mas esquece de ver que um golpe já foi dado em 54 milhões de brasileiros que acreditaram em tudo o que foi dito durante a campanha eleitoral. Portanto, tão legítimo quanto a alegação de que um impeachment seria um golpe, é a alegação de que vivemos em uma pátria educadora.

TWITTER SNAPCHAT FACEBOOK INSTAGRAM TELEGRAM

A trama do PMDB.

O processo de impeachment brasileiro revela muito mais do que a indignação popular. Revela também os interesses de alguns partidos políticos.

Há muito mais interesse por trás do impeachment do que o discurso de salvar o Brasil.

 ENGLISH SPANISH FRENCH ITALIAN

por: Franklin Couto

Michel Temer ( acima ) e Eduardo Cunha ( abaixo ) os grandes nomes do PMDB.

Brasil – A semana na política brasileira se inicia quente como nunca antes na história desse país. Com a aprovação do andamento do processo de impeachment, as articulações políticas já estão a todo o vapor.

Em Brasília, vários parlamentares visitaram o palácio do Jaburu- residência oficial do vice-presidente na capital federal- já com o intuito de discutirem seus possíveis novos cargos.

A única certeza que temos até o momento é que caso a presidente caia, o PMDB estará atuando nos mais altos cargos administrativos do país. A presidência será preenchida por Michel Temer, atual vice-presidente. A vice-presidência será ocupada por Eduardo Cunha- réu de diversas acusações de corrupção- ambos do PMDB.

Em entrevista ao Jornal da Globo no dia 18/04, o presidente do Senado- Renan Calheiros ( também do PMDB ) – garantiu que a votação no Senado será voltada ao crime de responsabilidade a qual a presidente vem sendo acusada.

De certo, há muito mais interessantes políticos e pessoais nesse processo de impeachment do que um interesse real em ajudar o país a progredir.

Haja vista o que o PMDB está fazendo no Estado do Rio de Janeiro. Vocês acham realmente que um partido que governa o segundo maior Estado brasileiro em arrecadação por vinte anos, e misteriosamente anunciam a falência do Estado justamente uma semana após o rompimento com o governo são realmente flor que se cheire?

TWITTER SNAPCHAT INSTAGRAM FACEBOOK

Brasília em chamas.

Depois de um longo dia de votação, o governo amarga mais uma derrota importante.Confira um resumo do domingo na política.

O clima esquenta na votação do processo de impeachment e deputados perdem o decoro.

ENGLISH SPANISH FRENCH ITALIAN

Deputado Jean Wyllys cuspiu em Jair Bolsonaro durante votação do impeachment.
Em votação folgada, a oposição mostrou que o governo vem agonizando dia após dia.

Esse mesmo governo que já teve quase 80% de aprovação vem amargando duras derrotas. A mais grave foi a de ontem, 17/04, que certamente está fazendo os governistas perderem o sono.

De qualquer forma, a movimentação política ainda continua e a próxima etapa do rito acontece no Senado. Teoricamente fechado, sem muita interferência popular e talvez com os ânimos menos inflamados que os dos nossos deputados, que chegaram até a cuspir uns nos outros durante a votação.

De agora em diante, são apenas duas seções para que o processo chegue ao Senado e nós finalmente tenhamos o desfecho dessa história. 

O mais interessante do dia de hoje é que pudemos ver como nossos deputados realmente são. Espero que estejam tão chocados quanto eu. No mais, aguardemos as cenas dos próximos capítulos. 

TWITTER FACEBOOK INSTAGRAM SNAPCHAT